Notícias às 05:00

Val Kilmer acredita que as orações o curaram do câncer

Reprodução/Instagram

Val Kilmer pratica a Ciência Cristã, mas confessa que concordou em tratar o câncer de garganta que teve, porque os filhos pediram. O ator de 60 anos é pai de Jack, de 24 anos, e Mercedes, de 28, de seu casamento com sua ex-esposa Joanne Whalley e quando Val foi diagnosticado com a doença, ele originalmente planejava sessões de orações com seu praticante da Ciência Cristã para que seu corpo o tratasse, já que na ciência cristã as doenças não podem ser manifestadas à voz externa.

No entanto, os filhos de Val Kilmer o convenceram a também ter tratamento médico para sua condição.

Ele disse ao jornal New York Times: "[eu tive] a sugestão de câncer de garganta". [Na Ciência Cristã], a ideia é, em vez de dizer que tenho ou tive [a doença], há uma afirmação, há uma sugestão de que isso é um fato".

Ele acrescentou: "Eu simplesmente não queria sentir o medo deles, que era profundo. Eu teria que ir embora e simplesmente não queria ficar sem eles", explica.

Ao aceitar o tratamento médico hoje ele está recuperado. E embora use um tubo de traqueostomia, acredita que a oração foi o verdadeiro tratamento para sua doença, enquanto a intervenção médica foi o que o machucou.

"Não há nada bom ou ruim, mas pensar faz com que seja assim. Rezei, e essa era minha forma de tratamento."

E, graças à sua fé na Ciência Cristã, Val não tem medo da morte: "Alguém vem até você e diz que você tem apenas quatro meses para viver, e o conceito de tempo é humano. Portanto, se você descrever o conceito divino de tempo, não haverá tempo", justifica.

A ciência cristã é um sistema de crenças religiosas e espirituais estabelecido no século XIX por Mary Baker Eddy, que segundo seus seguidores é usado para curar doenças.
 

Paixão por Angelina Jolie

Val Kilmer confessou à revista US Weekly que já foi completamente apaixonado pela atriz Angelina Jolie. O ator revelou que se apaixonou por ela quando trabalharam juntos no set do filme Alexander, de 2004, do diretor Oliver Stone, e admite que chegou a sonhar em ter um futuro com a ganhadora do Oscar.

"Desenvolvemos uma amizade", lembrou Kilmer em seu livro de memórias. "Estive por perto quando a mãe de Angie (Marcheline Bertrand) estava perdendo sua luta contra o câncer. Elas moravam no hotel preferido de sua mãe. Ou talvez foi Angie. Fiquei ali mesmo. Foi significativo, mortal, sem esforço e estranho", relembra.

O ator disse que sugeriu a Stone que seus personagens na trama, o Rei Philip II e a Rainha Olympias, deveriam ter cenas do tórrido romance do casal e o diretor concordou.

"Eu meio que estava brincando", ele escreveu, admitindo que o cineasta não entendeu a brincadeira, e decidiu fazer as cenas. "Eu mal podia esperar para beijar Angie, comprar um jato Gulfstream e pintar V + J na asa. Ela tinha adotado seu primeiro filho, Maddox, na época e os paparazzi estavam obcecados com essa Madonna moderna, a imagem perfeita do estrelato inacessível e o instinto maternal impossivelmente elegante".

Filme de Tom Cruise tem estreia cancelada
Val Kilmer está há 20 anos sem namorada
Val Kilmer relembra luta contra câncer de garganta