Polêmica às 15:38

Antônia Fontenelle culpa Juliette pelo ‘caos’ em sua vida: ‘Não cometi nenhum crime’

Antônia Fontenelle

Reprodução/Youtube

Antônia Fontenelle está no olho do furacão, desde que comentou sobre o caso de DJ Ivis e o chamou de “paraíba”, algo que muita gente entendeu de forma pejorativa e classificou o comentário como xenofóbico.

No entanto, a loira, que não é de levar desaforo para casa sem dar sua opinião, usou seu canal no Youtube, o Na Lata, e falou do inquérito instaurado pelo delegado Pedro Ivo, da 1ª Delegacia Seccional da Polícia Civil da Paraíba, que vai apurar se houve crime de xenofobia da apresentadora.

“Eu sou aquela pessoa que nunca deixa ninguém sem resposta. Eu não vou citar o nome do delegado hoje aqui porque presente a gente só dá no Natal e no aniversário e hoje não é nenhum dos dois. Seria, ao meu ver, um presente, citar o nome do delegado aqui no meu canal. Esse delegado da polícia civil de João Pessoa, que eu não vou falar o nome, instaurou um inquérito policial para apurar um possível crime de racismo praticado por mim. Eu não cometi crime nenhum. Isso tá mais que óbvio. É uma covardia o que estão fazendo comigo desde que eu usei a palavra ‘paraíba’ para o DJ Ivis, agressor de mulher. Isso, graças à campeã do ‘BBB'”, disparou Antônia Fontenelle.

Antônia ainda recordou do fato que o jogador do Atlético-MG, Hulk, adota o nome “Paraíba”, tentando dar mais um exemplo que não cometeu nenhum crime.

Veja+: ‘Você ajudou a abafar um crime’, diz Antônia Fontenelle para Juliette Freire

“Denunciação caluniosa é crime. Eu acho que o delegado não conhece a minha história. Eu sou nordestina como você. Mas eu não faço barulho no Nordeste. Faço barulho no Brasil inteiro. Sou respeitada no Rio de Janeiro. Políticos entram na minha casa pedindo voto. E não estou falando de vereador não, hein? O senhor, que estudou para isso, deveria saber o significado da palavra ‘xenofobia’. Se o jogador Hulk Paraíba pode ser chamado de Paraíba e o DJ paraibano não pode ser chamado de ‘paraíba’. O Hulk não tem o nome ‘Paraíba’ na certidão de nascimento”, disse.

A apresentadora ainda deixou claro que é uma nordestina raiz e sempre que errou, foi lá e pediu desculpas. Porém, como não acredita que cometeu crime algum, “não irá pedir perdão”.

Veja+: Tico Santa Cruz detona Antônia Fontenelle: ‘Sempre preconceituosa e estúpida’

“Vocês querem que eu me ajoelhe e peça perdão por algo que eu não fiz? Quando eu estou errada, eu vou lá e faço. Já fiz casamento errado, namoro errado e vim aqui falar. Mas não venham tentar fazer política com o meu nome que eu não vou permitir. Minha faculdade foram as ruas do Rio de Janeiro. E não foi rodando bolsinha não. Para me apontar o dedo vai ter que ter um currículo ilibado. Não sabe o que é? Dá um Google. Vocês não estão falando de uma lourinha nutella, não. Tá falando com uma nordestina raiz. Não vou pedir perdão de um crime que não cometi. Não esperem isso de mim”, afirmou.

ENTENDA A BRIGA DE ANTONIA FONTENELLE COM JULIETTE

As agressões de DJ Ivis contra Pamella Holanda acabaram gerando uma outra briga, que está crescendo à cada momento. Antônia Fontenelle se revoltou com a atitude do músico e acabou postando uma mensagem de repúdio, mas com uma palavra que acabou gerando outro tipo de revolta, agora contra ela. A atriz se referiu a Ivis como ‘esses paraíbas’ e logo passou a ser acusada por anônimos e famosos de xenofóbica.

Uma das pessoas que se sentiu ofendida pelo termo usado por Fontenelle, foi Juliette Freire que logo tratou de postar uma mensagem no seu perfil do Twitter.

“Não é força de expressão, é xenofobia. Não existe “ser Paraíba” e “fazer paraibada”. Existe ser PARAIBANA/O, o que sou com muito orgulho. Tire seu preconceito do caminho, que vamos passar com a nossa cultura e não vamos tolerar atitudes machistas e xenofóbicas de lugar algum”, escreveu ela sem citar o nome de Antônia. Mais tarde a campeã do BBB21 reiterou suas palavras com um vídeo em seus stories do Instagram e, mais uma vez, sem citar nomes.

Mas Fontenelle entendeu que o recado era sim dirigido a ela e contra-atacou. Em seu canal no YouTube, ela postou um vídeo, com mais de 15 minutos de duração, intitulado “Minha resposta para Juliette”, onde faz duros ataques à advogada.

“Me deparo com um vídeo feito pela campeã do Big Brother desse ano, Juliette, falando sobre xenofobia. É muito engraçado essas coisas. É aquela máxima: ‘Dê poder ao homem que você vai ficar sabendo do que ele é capaz’. Uso isso pra essa moça. Lembro que quando começou o Big Brother e ela estava sendo execrada pelas pessoas, sofrendo preconceito por ser paraibana… alguém da assessoria dela, ou do fã clube dela, não me lembro falou: ‘Antônia, você como nordestina, fale da Juliette’. Como não estava acompanhando não estava sabendo de nada. Fui dar uma olhada e achei uma barbaridade. Torci, enalteci, porque acho que esse é o papel de uma mulher, é ajudar a outra. A recíproca não foi a verdadeira, não que esperasse algo dessa moça. Também não esperava, um vídeo irresponsável, uma vez que ela tem mais de 30 milhões de seguidores”, começou ela.

“Me deparo com um vídeo feito pela campeã do Big Brother desse ano, Juliette, falando sobre xenofobia. É muito engraçado essas coisas. É aquela máxima: ‘Dê poder ao homem que você vai ficar sabendo do que ele é capaz’. Uso isso pra essa moça. Lembro que quando começou o Big Brother e ela estava sendo execrada pelas pessoas, sofrendo preconceito por ser paraibana… alguém da assessoria dela, ou do fã clube dela, não me lembro falou: ‘Antônia, você como nordestina, fale da Juliette’. Como não estava acompanhando não estava sabendo de nada. Fui dar uma olhada e achei uma barbaridade. Torci, enalteci, porque acho que esse é o papel de uma mulher, é ajudar a outra. A recíproca não foi a verdadeira, não que esperasse algo dessa moça. Também não esperava, um vídeo irresponsável, uma vez que ela tem mais de 30 milhões de seguidores”, começou ela.

Em seguida ela foi elevando o tom contra Juliette e seus seguidores: “A gente sabe que ela ganhou o programa através de uma máfia digital. O que eu esperava da Juliette é que ela viesse em suas redes, assim como ela fez um vídeo me acusando de um crime racial gravíssimo, é que ela rechaçasse a atitude do conterrâneo paraibano dela. Paraibano, não é paraíba! Eu errei por duas letras. Que ela rechaçasse aquela barbárie que que esse agressor cometeu contra a mãe da filha dele. Você viu os vídeos Juliette?

Essa mulher apanhando feito um bicho, por várias vezes. Esperava de você, como mulher nordestina arretada, como todo mundo acha que você é. Que você execrasse a atitude desse rapaz. Não fizesse umas 3 linhas bonitinhas no Instagram ou no Twitter, com palavras bonitinhas dizendo que abomina a violência doméstica. Só para não ficar de fora… conselho de assessoria, sei lá. Assim como o vídeo que você fez pra mim, eu não ia ser idiota de te deixar sem resposta. Como nordestina que sou, das boas, raiz, não ia deixar você sem resposta”, continuou.

Fongenelle disse ainda que a paraibana a atacou injustamente e tirou o foco do músico agressor, como se quisesse encobrir o crime que ele cometeu.

“Você se juntou com esse povo que te elegeu e que presta um desserviço na internet e veio atacar uma outra mulher, com palavras disfarçadas. Vocês não tem coragem de dizer nomes, mas eu digo. Você foi covarde na sua atitude, Juliette. Você foi irresponsável de me acusar de um crime tão grave como xenofobia. Que sabe você da minha vida? Você ajudou a abafar um crime, que é a violência doméstica. Você contribuiu para que as pessoas esqueçam que esse rapaz fez, seu conterrâneo paraibano fez. 

Você foi irresponsável, você e essa máfia digital, que vocês se dão tão bem. Você fez isso por conveniência. Você não fez isso da sua cabeça, não. Sabe por quê? O textinho que você se arrumou toda pra falar, parecia que estava sendo lido de um teleprompter. Mas comigo não tem isso não, bonita. Comigo é aqui no tête-à-tête. Gostaria de estar falando isso olhando na sua cara, sua irresponsável. Você é massa de manobra, Juliette”, disse.

Em seguida, Fontenelle desdenhou da fama passageira de Juliette e lembrou o episódio polêmico em que Val Marchiori dizia que a campeã do BBB não era rica como ela, mas depois a convidou para tomar um champagne juntas.

“Você sabe quantas vezes eu fui chamada de paraíba, só poque sou do sertão do Piauí? Nem por isso eu vou me vitimizar. Você está impressionada com sua fama, mas ela é passageira, meu amor. Espera até a próxima edição do Big Brother pra ver quem vai lembrar quem é Juliette. Você tá achando que sou a Val Marchiori que vai te chamar pra tomar champagne? Vou aqui te mostrar a realidade.

Nesse momento você está no papel de heroína. O brasileiro é carente de heróis e heroínas. Só que de heroína você não tem nada. Você deveria vira público, como nordestina que é e falar:

‘Repudio o que esse agressor, meu conterrâneo fez. Isso não se faz’. Você foi aconselhada a me acusar de um crime de xenofobia”, afirmou.

E sobrou até para a mãe de Juliette: “Não sei se tua mãe ensinou que ‘quem anda com porcos, farelo come!’. Cuidado que o homem é feito de atitudes e não de palavras. Você está achando que vai ficar na crista da onda pra sempre? Você não vai manter as relações que eu mantenho fora dos holofotes, sabe por quê? Porque você é moleca e irresponsável.

A mim você não engana. As pessoas preferem ouvir uma vozinha doce e meiga, do que uma mulher como eu que tem a coragem de falar a verdade nua e crua. Não vou ter medo dos seus 30 milhões de seguidores, não. Não vou te chamar pra tomar champagne e não vou te pedir desculpas, sua irresponsável.”

Em meio a tantos ataques, Antônia ironizou a amizade da advogada com a cantora Anitta, assim que deixou o confinamento.