Polêmica às 10:03

Sheila Castro, da seleção de vôlei, desabafa após suspensão de Tandara: ‘Tristeza’

sheilla-castro-nas-olimpiadas-de-toquio

Reprodução/Twitter

Sheilla Castro, oposta na seleção brasileira feminina de vôlei, lamentou a suspensão de Tandara Caixeta das Olimpíadas de Tóquio. A também oposta teve que deixar os Jogos Olímpicos por uma “potencial violação da regra antidopagem”. O exame, que revelou essa alteração, foi feito quando a equipe ainda treinava no Brasil, no dia 7 de julho, antes de embarcar para o Japão, mas o resultado só foi revelado na última quinta-feira, 5 de agosto.

Veja+: Seleção feminina de vôlei arrasa na quadra, arranca suspiros e garante presença na semifinal

No Twitter, Sheilla não conteve a tristeza com o anúncio que pegou não só o público, mas toda a seleção de surpresa, e reforçou que as meninas continuarão unidas para darem o melhor de si no jogo contra a Coréia, nesta sexta-feira (6).

Veja+: Eita! Goleira da seleção feminina bate boca com atleta paralímpica

“Gente, sim. Uma merda. Não sei detalhes ainda. Raiva, tristeza… não sei o que pode acontecer”, desabafou a jogadora. “Ela fez contra prova. Talvez não seja nada”, completou.

Sheila Castro desabafa após suspensão de Tandara (Reprodução/Twitter)

Em seguida, a atleta pediu que os brasileiros mandassem boas energias para a seleção e deu detalhes da preparação para a semifinal. 

Veja+: Após derrota, Brasil enfrenta Argentina em busca do bronze no vôlei

“Nossas meninas estão muito unidas, o grupo tá muito fechado! É hora de mandar mais energia pra elas e parar de falar do que aconteceu!  Vai dar certo”, desabafou ela, que mais tarde, continuou: “Deu de falar de doping porque já sabemos do principal no momento, que isso não prejudica nossa seleção.  Sobre a Tandara é torcer pra não ser nada”.

ENTENDA A SUSPENSÃO DE TANDARA

Algumas horas antes de entrar em quadra para jogar contra a Coréia do Sul, a seleção brasileira de vôlei sofreu uma grande baixa. A oposta Tandara foi suspensa dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 por um “potencial violação da regra antidopagem”. O exame que revelou essa alteração foi feito quando a equipe ainda treinando no Brasil, antes de embarcar para o Japão, mas o resultado só foi revelado nesta quinta-feira, 05 de agosto.

A jogadora foi informada do afastamento e deve embarcar de volta ao Brasil ainda nesta sexta-feira, 06 de agosto. Tão logo soube do resultado, sua assessoria usou o Instagram para emitir uma nota sobre o ocorrido.  

“A atleta Tandara Caixeta está trabalhando em sua defesa e só se manifestará após a conclusão do caso. Agradecemos o carinho de todos vocês! Atenciosamente, Assessoria”

COMUNICADOS

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) não divulgou qual seria esse potencial violação e se foi apontada algum tipo de substância proibida no exame de Tandara, mas emitiu um comunicado lamentando a suspensão da jogadora.

O Comitê Olímpico do Brasil recebeu nesta madrugada no Japão, através da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), a notificação quanto à suspensão provisória por potencial violação de regra antidopagem pela atleta Tandara Caixeta, da seleção feminina de voleibol. O teste foi realizado no período fora de competição no centro de treinamento da modalidade em Saquarema no dia 7 de julho. Tandara retornará ao Brasil.

A equipe feminina de voleibol disputa partida semifinal dos Jogos Olímpicos contra a Coréia do Sul esta noite, 8/8, às 21h (Japão).

A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) também emitiu um comunicado enfatizando a importância da jogadora na equipe que pode trazer uma medalha para o país.

A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) recebeu, na noite desta quinta-feira (05.08), no horário do Brasil, notificação da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) quanto à suspensão provisória por potencial violação de regra antidopagem pela oposta Tandara, da seleção brasileira feminina.

A CBV lamenta que a atleta, campeã olímpica e uma das principais referências da equipe brasileira, atravesse este momento, e aguarda os resultados dos trâmites processuais, cujo conteúdo é de caráter particular da atleta e confidencial.

A seleção feminina entrará em quadra nesta sexta-feira (06.08), às 9h (Horário de Brasília), para a disputa da semifinal contra a Coreia do Sul. No Japão, o grupo já vive o dia da partida decisiva.

Como houve apenas um caso na equipe, o time do Brasil não corre risco de sofrer punições, que poderia ser até mesmo a exclusão dos jogos. Agora fica a torcida para que esse caso não atrapalhe a jornada das meninas rumo ao ouro olímpico.