Realeza às 14:00

Filhos de Camilla Parker-Bowles podem receber títulos de nobreza

Camilla Parker Bowles sorri em evento
Foto: Reprodução/Instagram/@clarencehouse

A imprensa inglesa começa a se preparar para o que será a mudança de reinado, quando a rainha Elizabeth II for substituída no trono pelo filho, o Príncipe Charles. O reinado de Elizabeth II já se tornou o mais longo da história da monarquia britânica, por isso a rainha refletiu sobre sua posição em seu discurso do jubileu de platina, quando pediu ao povo da Grã Bretanha que a Duquesa da Cornualha, Camilla Parker-Bowles seja coroada Rainha Consorte – e não princesa consorte como era o esperado – quando seu filho subir ao trono, e receba o apoio com o qual ela sempre contou.

Cabe recordar que Camilla passou de ser a mulher mais odiada do país – devido ao seu envolvimento com Charles e Diana – a ser praticamente o braço direito da rainha Elizabeth e uma pessoa que a monarca admira bastante. Depois desse pedido de Elizabeth, para os ingleses acolherem o filho e a nora em seu reinado, muitos começaram a se perguntar se os filhos de Camilla – Tom Parker Bowles, de 47 anos, e Laura Lopes, de 44 – receberiam algum título nobre quando a mãe for coroada rainha.

Veja+: Apagam fotos do Príncipe Andrew das redes sociais da realeza

Segundo o jornal Daily Mail, isso é possível. Embora Tom e Laura não tenham nascido dentro da família real, poderiam ser parte da realeza, já que ele ou a monarca britânica podem oferecer alguns títulos. “Quando Charles for rei ele poderá dar títulos reais a quem quiser, incluindo os filhos de sua esposa, que se tornaram seus enteados quando ele se casou com Camilla em 2005”, comenta uma fonte.

Porém, embora possa dar os títulos que quiser, experts reais asseguram que Charles poderia cumprir o desejo de sua mãe em manter um limite de membros na monarquia.

“É possível que no futuro Charles tire alguns membros da família real para que o povo não os veja como parasitas que precisam eliminar. Também existe a possibilidade que os filhos de Camilla não cheguem a pertencer diretamente à realeza, pelo bem da coroa”, justifica.

Veja+: Príncipe Harry quer se reaproximar da família

CALOTE?

Em 1969, a realeza encomendou a coroa que o Príncipe Charles usará no dia de sua coroação, quando a Rainha Elizabeth II partir. Porém, agora sabe-se que a joia foi entregue à monarquia, mas nunca foi paga.

A empresa que apresentou a relíquia ao Príncipe de Gales deve aos fabricantes US$ 300 mil (R$ 1,5 milhão, atualmente) desde 1969, asseguram algumas fontes. Ela foi feita sob encomenda porque o rei Eduardo VIII, tio da rainha Elizabeth II, abdicou do trono e levou a coroa consigo para fora do país.

O vice-presidente sênior da Global Precious Metal Corporation, David R. Mason, nunca recebeu nenhum pagamento. A empresa que encomendou a coroa, a Worshipful Company of Goldsmiths, a deu à rainha Elizabeth II e nunca cancelou o trabalho do fabricante. Segundo o diário The Sun, a coroa foi feita sob medida para Charles, considerando seu cabelo grosso e suas orelhas.

Veja+: Rainha Elizabeth II continuará no trono, mas vai diminuir compromissos

A companhia contou ao programa “Secrets of The Royal Palaces”, do canal 5 do Reino Unido, que até hoje não conseguiram receber o dinheiro:

“Eles não nos pagaram. Com todo o ouro que continha, valia mais de £ 200.000 em ouro (US$ 300.000). Enviamos nossos avisos de coleta habituais, mas não conseguimos ser pagos”, disse Mason ao programa.

O homem ainda revelou que a coroa ainda tem uma peculiaridade: tem uma bola de pingue-pongue dentro dela.

Ele explicou: “Eu estava assistindo a um jogo de pingue-pongue na TV e me ocorreu. Então, não havia como tirar a bola de dentro sem destruir o revestimento dourado. Na verdade, a bola ainda está lá”, revelou.

A realeza, por sua vez, não comentou a notícia.