Redes Sociais às 18:00

Casa de Lisa Marie Presley é colocada à venda após sua morte

Lisa Marie Presley
Lisa Marie Presley / Reprodução / Instagram/@lisampresley

A mansão de Calabasas que foi a última moradia de Lisa Marie Presley foi colocada à venda no mercado imobiliário por pouco mais de US$ 4,6 milhões (R$ 22 milhões). Segundo o site TMZ, a filha do falecido Elvis Presley alugou a propriedade em 2020, no meio da pandemia, e planejava comprá-la este ano, antes de sua morte em 12 de janeiro.

A mansão foi completamente reformada antes de ser colocada à venda por seu corretor de imóveis e amigo, Robb Friedman, que afirma que a casa era ‘o local perfeito para a cantora, pois possui um home theater, uma adega e uma academia coberta’.

A mansão tem seis quartos e sete banheiros, além de uma grande piscina externa e área para refeições com vista para um desfiladeiro.

Lisa Marie havia se mudado para a casa deslumbrante com suas filhas gêmeas, Finley e Harper, e o ex-marido Danny Keough, com quem ela foi casada de 1988 a 1994.

Foi nessa casa que os paramédicos foram chamados quando Lisa Marie Presley precisou de socorro. Eles imediatamente realizaram RCP e a cantora foi levada às pressas para o hospital. No entanto, ela foi declarada morta apenas algumas horas depois.

De acordo com o médico legista do condado de Los Angeles, ela morreu por consequências de uma obstrução intestinal resultante de aderências causadas pela cirurgia bariátrica que realizou dois anos antes. Segundo o site TMZ, a bariátrica pode criar tecido cicatricial que pode estrangular os intestinos, o que aconteceu no caso de Lisa Marie, que também tinha em seu sistema ‘níveis terapêuticos’ de oxicodona, buprenorfina opióide – uma droga usada para tratar o vício – e quetiapina em seu sistema, que não contribuíram para sua morte.

ALERTA

O famoso médico Dr. Terry Dubrow, o cirurgião plástico por trás da série de sucesso “Botched”, do canal E!, fez um importante alerta sobre a perda extrema de peso que algumas pessoas e celebridades estão experimentando, e que segundo ele ‘pode custar a vida’.

Após analisar os resultados da autópsia de Lisa Marie Presley, que faleceu em janeiro, Dr. Terry está criticando os métodos drásticos aos que um número crescente de pacientes está se submetendo para alcançar uma perda drástica de peso, e falou sobre o que levou à morte da filha de Elvis Presley, que perdeu a vida devido a uma obstrução do intestino delgado após uma cirurgia bariátrica.

Dubrow, de 64 anos, agora está pedindo aos especialistas da comunidade de perda de peso que aumentem a conscientização sobre os perigos dos tratamentos como o remédio Ozempic – que virou febre apesar do alto custo – e cirurgia bariátrica.

Causa da morte de Lisa Marie Presley surpreende

Em entrevista exclusiva ao programa “TMZ Live”, ele alertou que isso pode resultar em uma situação mortal – especialmente quando os tratamentos são combinados.

“Ninguém está falando sobre isso agora – mas precisamos conversar sobre isso”, alertou.

“A cirurgia bariátrica pode criar tecido cicatricial que pode estrangular os intestinos, e o caso de Lisa Marie foi um excelente exemplo”, justifica, relembrando que a cantora passou por uma bariátrica há dois anos e estava supostamente com alguns problemas de saúde por conta da cirurgia.

Outros riscos a longo prazo associados ao procedimento incluem hérnias, cálculos biliares, desnutrição, baixo nível de açúcar no sangue, úlceras, refluxo ácido e síndrome de dumping, que pode causar diarreia, rubor, vômito e tontura.

“Muitas vezes os pacientes não perdem peso suficiente apenas com a cirurgia bariátrica e recorrem a medicamentos para perda de peso como Ozempic para perder mais peso, mas a droga pode retardar ainda mais o intestino (…) é uma tempestade perfeita: a combinação de cicatrizes bariátricas, intestinos lentos devido a medicamentos para perda de peso e opioides para mascarar a dor pode ser uma mistura fatal.”, assegura.

Embora não haja evidências atuais de que Lisa Marie estava tomando um medicamento para perda de peso semelhante ao Ozempic após o procedimento, Dubrow alertou os pacientes sobre os riscos.

“Se você vai tomar drogas do tipo Ozempic e sente dor intestinal, inchaço no estômago, dor, bebe álcool com isso, fica predisposto a obstrução intestinal e pancreatite”, observou, acrescentando que esse remédio tem muitos efeitos colaterais indesejados ou desagradáveis, “como arrotos excessivos e pútridos, diarreia e flacidez da pele e até pensamentos suicidas”.

O médico revelou que atualmente está com três de seus pacientes hospitalizados devido a problemas intestinais e pancreatite relacionados ao uso de Ozempic, e isso que eles ainda não passaram por nenhuma cirurgia.

Siga OFuxico no Google News e receba alertas das principais notícias sobre famosos, novelas, séries, entretenimento e mais!

Notícias Relacionadas