Redes Sociais às 09:46

Guarabyra ironiza Sérgio Reis e desiste de gravar com o sertanejo

Foto: Reprodução/ Instagram

O posicionamento político de Sérgio Reis causou a primeira baixa profissional no currículo do cantor sertanejo. O músico Gutemberg Guarabyra, que forma a dupla Sá & Guarabyra, com Luiz Carlos Sá, anunciou no Twitter que não participará mais de disco do veterano. A decisão foi tomada diante da divulgação de um áudio em que Sérgio Reis sai em defesa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e convoca uma paralisação de caminhoneiros em setembro até que o Senado afaste os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) de seus cargos.

“De Sérgio Reis, sempre tive enorme admiração pelo trabalho, bom gosto, extrema musicalidade. No disco dele que irá sair, inclusive participaria em uma faixa, gravação dele de ‘Sobradinho’. Mas me considero incompatível com seu posicionamento atual e infelizmente declino do convite”, escreveu Guarabyra.

Na mesma rede social, o compositor ainda ironizou e citou Ségio Reis como “salvador” de crises pelo mundo.

“Agenda: Depois de salvar o país em setembro, em outubro Sérgio Reis será enviado ao Haiti. Resolvidas as coisas por lá, deverá seguir em novembro para o Afeganistão, caso a OTAN não tenha se mexido pra estabilizar o país até lá.”

SÉRGIO REIS ESTÁ DEPRIMIDO

Segundo a coluna de Mônica Bergamo, da “Folha de S. Paulo”, a mulher de Sérgio Reis disse que ele teria ficado deprimido com a má repercussão do áudio, por seu chamado ter sido “mal interpretado”.

No começo do ano, o cantor de 81 anos tinha anunciado a gravação de um álbum em que regravaria grandes sucessos da música brasileiras ao lado de nomes como Anastácia, Guilherme Arantes, Maria Rita e Zé Ramalho.

Em fevereiro, a dupla Sá & Guarabyra entrou na Justiça contra a versão da música “Dona”, regravada com letra em apoio à atriz Regina Duarte quando ela estava para assumir a secretaria da Cultura do governo Bolsonaro.

“Temos um grande respeito pela Regina. O problema é parecer que a estamos apoiando na Secretaria de Cultura, o que não é verdade. Apoiar um ministro é dar aval a um governo, e a gente não apoia o governo Bolsonaro”, Luiz Carlos Sá, na ocasião.

Defendida em 1982 por Sá & Guarabyra no Festival de Música Popular Brasileira, “Dona” foi regravada pelo Roupa Nova em 1985, mesmo ano em que virou hit na trilha da novela “Roque Santeiro” — era o tema da Viúva Porcina, personagem de Regina Duarte.

SÉRGIO REIS NEGA QUE SEJA LÍDER DE MANIFESTAÇÃO

Na segunda-feira, 16 de agosto, o cantor e ex-deputado federal Sérgio Reis se explicou sobre seu envolvimento na manifestação dos caminhoneiros, que está programada para o dia 7 de setembro de 2021. Isso após o vazamento de um áudio sobre o assunto.

“Eu sou uma pessoa que tem conhecimento profundo sobre o que acontece no país referente aos caminhoneiros, como eles são muito ligados e todos eles ouvem os meus programas, me falaram: ‘Sergio, dá uma força’. E eu falei: ‘Tudo bem, vamos lá’. Não sou eu o líder”, afirmou o artista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan.

Vale ressaltar que, entre as reivindicações da categoria, está o pedido de impeachment dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes e Luis Roberto Barroso.

“O que nós queremos é que todos esses impeachments sejam estudados e analisados e eles não fazem nada. Então, agora nós vamos pedir. Eu só estou nessa briga porque eu devo ao povo”, explicou o ex-parlamentar.

“Falam que o povo precisa comer, o povo precisa de saúde, o povo precisa que devolvam o dinheiro que roubaram”, apontou Sergio Reis.

APOIO AOS CAMINHONEROS E AGRICULTORES

Por meio de um vídeo, Sérgio Reis anunciou uma manifestação ao lado dos caminhoneiros e agricultores nos dias que antecedem ao feriado 7 de setembro a favor de Jair Bolsonaro e foi apontado como um dos líderes.

“Estamos fazendo um movimento para salvar o país. Dia 7 não vamos fazer nada para não atrapalhar o desfile do nosso presidente, que é muito importante”, disse ele, se referindo a um desfile que ocorre sempre no Dia da Independência do Brasil.

“Nós fizemos uma reunião em São Paulo com líderes do Brasil, caminhoneiros e agricultores. Estamos fazendo um movimento clássico, sem agressões, sem nada. Queremos dar um jeito de movimentar esse país. Sem tumulto, vamos ficar lá, vamos acampar, vai ter um galpão de refeições”, afirmou o sertanejo.

“Para fazer uma coisa séria, para que o governo tome uma posição, o Exército tome uma posição, mas se o povo não tomar essa posição, nada vai. Vocês que estão a fim de salvar o Brasil, vamos com a gente para Brasília”, disparou.

PRINCIPAIS NOTÍCIAS

Luciana Gimenez passa mal, é internada e liberada após exames

Carla Vilhena é criticada por cobrar uso de máscara no Afeganistão

Kanye West fala sobre ambiente tóxico no trabalho