Cinema e Série às 12:20

Antes da morte de Halyna Hutchins, aconteceram dois incidentes com arma cenográfica no set

Halyna Hutchins, diretora de fotografia

Foto: Reprodução/Instagram/@halynahutchins

Uma fonte anônima no set do filme Rust, onde aconteceu a morte acidental da diretora de fotografia Halyna Hutchins, na semana passada, revelou que a falta de segurança no lugar ‘era gravíssima’.

Essa pessoa, que faz parte da equipe de produção do longa dirigido por Joel Souza e protagonizado por Alec Baldwin, afirmou que duas falhas graves acontecera em dias anteriores, envolvendo ‘armas cenográficas’.

Ele contou que a tragédia poderia ter sido evitada:

“Houve pelo menos duas falhas no uso de armas cenográficas na semana passada. A falta de medidas de segurança no set era gravíssima”, disse, acrescentando que a reclamação teve início às 6h30 da manhã da quinta-feira 21 de outubro, mesmo dia em que ocorreu a tragédia que culminou na morte de Hutchins, além da lesão de Joel Souza.

A equipe técnica do filme vinha questionando, acima de tudo, a falta de remuneração e as horas excessivas de trabalho sem remuneração.

Veja+: Hilaria Baldwin quebra o silêncio sobre tragédia

Era o dia 12 das filmagens no Novo México, dos 21 dias programados no local.

Embora o dinheiro investido na produção não tenha sido revelado, a imprensa de Hollywood destacou que Rust é um filme de baixo orçamento para os padrões do cinema americano.

“A falta de recursos levou, por exemplo, a que parte da equipe fosse obrigada a fazer 80 quilômetros por dia da cidade de Albuquerque (Novo México) até o local das filmagens em vez de se instalar na cidade de Santa Fé que estava mais próxima. Alguns dos trabalhadores indicaram que a produção lhes garantiu hospedagem em hotéis em Santa Fé, mas eles não cumpriram o compromisso.”, revela a fonte.

O marido de Halyna, Matthew Hutchins, ainda não quis dar entrevistas, enquanto as investigações não finalizam, mas o informante contou que ele tem muito o que contar sobre os últimos dias da mulher.

Veja+: Pai de Halyna Hutchins quebra o silêncio

ASSISTENTE INVESTIGADO

O assistente de diretor Dave Halls, que foi quem entregou a arma carregada com uma bala real para Alec Baldwin, no set do filme Rust, que acidentalmente matou a diretora de fotografia Halyna Hutchins e feriu o cineasta Joel Souza, está sendo investigado pelas autoridades.

De acordo com os documentos do tribunal, o homem alega que não sabia que a arma continha munição real. Ele entregou a pistola a Baldwin e disse ao ator que era seguro atirar com ela.

No entanto, novas alegações e detalhes estão surgindo sobre David Halls, incluindo uma queixa de 2019 contra ele, que foi demitido da produtora Blumhouse Television naquele ano, e não voltou a ser contratado por ninguém durante esse tempo.

Embora a produtora não tenha esclarecido porque o demitiu em 2019, uma fonte revelou ao site Deadline que Halls foi acusado na época, por membros da equipe da série Pure e Culture Shock, onde trabalhava, de ser uma pessoa ‘agressivo e intimidadora’.

“Uma reclamação focada em seu comportamento pessoal foi registrada por falta de respeito ao espaço por parte de companheiros de equipe e outros colegas de trabalho. Halls foi descrito como ‘muito agressivo e intimidador’ no set por uma fonte próxima à produção.”, contou o informante à revista People.

Também houve reclamações de problemas de segurança na série Pure, embora não estivessem diretamente relacionados com Halls.

“Todas as reclamações que o estúdio recebeu sobre questões de segurança foram tratadas imediatamente naquele momento”, acrescentou um porta-voz da Blumhouse, sem dar maiores detalhes.