Música e Shows às 14:20

The Town: Kim Petras é totalmente ofuscada por shows nacionais

The Town
The Town: Artistas nacionais ofuscam show de Kim Petras (Crédito: Adriana Spaca AGnews/Patricia Devoraes BrazilNews/LeoFranco Brazil News)

Chegou ao fim a primeira e grandiosa edição do The Town. Diversos grandes nomes passaram por lá ao longo de dois finais de semana e de um feriado prolongado. Com isto, vários nomes começaram a borbulhar nas redes sociais: O grandioso e impactante show de Bruno Mars; a polêmica entre Iggy Azalea e veículos nacionais; Pabllo Vittar que fez o primeiro show com banda, Gloria Groove que iniciou sua tour “Noites de Gloria” e IZA com o primeiro show do magnífico “Afrodhit”.

Porém, o que começou a ser discutido é que tiveram alguns shows deslocados em seu line-up: O Skyline é o nome do palco principal. Na última noite, o line-up se apoiava em IZA, H.E.R, Kim Petras e fechando com Bruno Mars. Kim, uma artista multifacetada e com um Grammy pelo smash-hit “Unholy”, ao lado de Sam Smith, entregou um show morno, com coreografias pouco ‘excitantes’ e serviu hits como “XXX” e “Icy”.

A alemã é um fenômeno da música e vem trazendo luz a um cenário pop com suas composições e com um estilo pop que lembra muito o de Charli XCX, misturando um pouco da PC Music e remixes de hits antigos sampleados em uma nova versão, como em “Alone” com o sample de Alice Deejay, já usado em músicas de David Gueta e tantas outras. O caso é: A superprodução de Pabllo com uma banda afiada em um show energético veio antes no palco “The One”.

Fica aí o questionamento: Como um nome nacional e grandioso como o de Pabllo não estava no palco principal e, provavelmente, estará apenas na próxima edição como uma headliner do Skyline? A drag se emocionou e mostrou que seu show é ainda mais grandioso acompanhado de uma banda e de muita coreografia decorada a risca, ensaiada e cronometrada, trazendo ainda a gigante vocalista, Liniker, para um dueto lindo de “Baby 95” e Jup Do Bairro para o remix de “Descontrolada”.

IZA a mesma coisa: Um show divido em partes, emocionante, com presença de palco em cada milímetro. MC Carol entra para cantar “Fé nas Malucas” e o hit que faz todo mundo falar do “namorado otário” casaram perfeitamente com a vibe de um show incrível. Ela dedicou o show a todas as mulheres, além de afirmar estar “renascida” e dando o pontapé em sua aguardada segunda era com um ‘chute de ouro’.

Ludmilla deu o nome no Rock In Rio em 2022 em um palco secundário e assumiu o dia 7 de setembro como um grande nome da nossa música no Skyline, e mais uma vez, mostrou que sabe montar um show enorme, com estrutura, hits, carisma e que deve sempre figurar neste lugar.

O fato de Kim trazer um show pobre para o Skyline é alarmante: Gloria Groove fez coreografias, trouxe estruturas, looks, agitou a plateia sem parar em nenhum momento e estava ali no palco secundário. Parece um pouco não muito equivalente, já que não foi muito bem recebido pelo próprio público o show de Kim no Skyline, mesmo com o seu vocal poderoso e uma bagagem de hits, não conseguiu elevar o nível que o último dia colocou com 4 dançarinas e um telão, junto com um show de luzes um pouco cansativo.

Devemos, para ontem, valorizar os nossos artistas, os brasileiros, que colocam com muito cuidado cada passo, cada música e com muito carinho para fazer shows grandiosos dignos de um festival. Olha só como Jão também fez um outro grandioso show fechando o The One com o início de sua “Superturnê”, que passeará pelas 4 eras do cantor. Ele se esforçou em trazer algo diferenciado e que fizesse jus ao seu status de ‘divo pop’. Artistas nacionais dominaram o The Town e colocaram o nível em outro patamar.

Notícias Relacionadas