Notícias às 10:00

Equipe médica de Maradona responderá por homicídio doloso

Reprodução

A equipe médica de Diego Armando Maradona foi acusada de homicídio em relação à morte da lenda do futebol, segundo o canal ESPN. O esportista morreu de insuficiência cardíaca em novembro aos 60 anos, duas semanas depois de passar por uma cirurgia no cérebro.

Mas agora o caso está tomando outra direção, quando sete pessoas foram autuadas por 'homicídio doloso', quando se tem a intenção de matar.

A polícia argentina invadiu a casa e a clínica particular do Dr. Leopoldo Luque, cirurgião que operou Maradona, e ele é um dos que enfrentam processos criminais, junto com a psiquiatra do futebolista Agustina Cosachov, duas enfermeiras e outros profissionais médicos.

Se condenados, cada um pode pegar até 25 anos de prisão.

De acordo com a publicação, a família de Maradona tinha suspeitas em torno de sua morte, o que levou a uma investigação especial e, de acordo com relatos, os promotores acreditam que há evidências de que ele não recebeu  o atendimento médico de que precisava após a cirurgia.

O caso será levado à frente de um juiz em 31 de maio.

Morte

Diego Armando Maradona morreu de insuficiência cardíaca dia 25 de novembro, que causou um edema pulmonar. De acordo com o jornal The Sun, na autópsia também foi revelado que ele sofria de graves problemas cardíacos, hepáticos e renais no momento da sua morte.

Embora nenhum álcool ou drogas ilegais tenham sido encontrados em seu sistema, a autópsia revelou que Diego Armando usava medicamentos prescritos, incluindo quetiapina, venlafaxina e levetiracetam.

O herói do futebol argentino faleceu semanas depois de ser submetido com sucesso a uma cirurgia no cérebro por causa de um coágulo sanguíneo.

No passado Maradona enfrentou uma série de problemas de saúde, incluindo duas hospitalizações por problemas cardíacos em 2000 e 2004.

Em novembro, o mundo ficou chocado com a notícia da morte de Maradona. O ex-jogador sofreu uma parada cardiorrespiratória em sua casa.

Na época a polícia ouviu o testemunho das filhas do ídolo argentino e elas acusaram o médico Leopoldo Luque por descuido com o pai.

Sendo assim, as autoridades investigam possíveis irregularidades na internação domiciliar de Diego Maradona e a investigação tramita como homicídio culposo.