Notícias às 13:50

Gil do Vigor fala de economia e detona Jair Bolsonaro

Gil do Vigor

Reprodução/ TV Globo

Gil do Vigor foi o convidado de ontem, dia 8 de janeiro, do ‘Altas Horas’ da Globo. O doutorando em economia resolveu dar algumas explicações econômicas no programa e aproveitou para alfinetar o Presidente Jair Bolsonaro.

O ex-BBB, conhecido por tratar assuntos econômicos de uma maneira fácil, resolveu explicar a inflação. “Aprendi que há muitas variáveis que afetam os preços, que é a inflação. A inflação é o quê? O preço do cuscuz, o preço do arroz. Não é só taxa de juros”, começou.

“O discurso de um presidente vai gerar inflação. Se um presidente fala algo errado, nós temos investidores que estão de olho no Brasil.”, provocou Gil, deixando claro que as falas de Bolsonaro atrapalham a economia brasileira. “Tem várias coisas que podem acontecer dentro de um país que vai afetar a inflação. Se os investimentos param de entrar no Brasil, isso vai gerar inflação”, continuou.

Morando na Califórnia para cursar seu doutorado, o ex-BBB falou que frequentemente é questionado por colegas e professores sobre a atual situação brasileira. “O Brasil está desandando muito em questões que não deveriam. O nosso cenário atual está muito incerto. Nos Estados Unidos, por exemplo, conversando com os meus amigos eles me perguntam por que o Brasil está desandando tanto na política”, disse.

Dando continuidade as suas alfinetadas ao Presidente, Gil criticou a falta de preparo de Bolsonaro, e afirmou que precisamos de pessoas no poder que pensem nos pobres. “Para colocar pessoas para cuidar do nosso país, elas precisam de preparo acadêmico. O mínimo necessário”.

“Precisamos de pessoas que pensem no pobre. Não adianta o Brasil ser o país com o maior PIB, taxa de crescimento, se tem pessoas na miséria, passando fome, morrendo”, começou. “A gente tem que mudar na base. Quando a gente se humanizar e acabar com a miséria do Brasil, acabar com a fome, aí independentemente de PIB, de crescimento, o Brasil estará melhorando”, concluiu.

Gil ainda disse que como economista entende que as coisas precisam ser feitas, mas sem a confiança do povo brasileiro nada irá funcionar. “Como economista eu sei que coisas precisam ser feitas. Só cuidar de taxas de juros? Se o cenário político do Brasil não mudar, se a confiança do brasileiro nas pessoas que estão assumindo os cargos para nos representar não mudar, as coisas nunca vão pra frente”, afirmou.

JORNAL NACIONAL’ DETONA BOLSONARO

William Bonner leu um editorial da Globo na noite desta quinta-feira, 6 de janeiro. O apresentador criticou o presidente Jair Bolsonaro, não só em nome da empresa, mas também numa crítica pessoal. O texto citou exatamente a fala do chefe do executivo sobre a vacinação de crianças. O novo filiado do PL minimizou a morte de crianças por Covid-19.

Primeiro, o jornalista contextualizou a fala do presidente sobre a vacinação pediátrica, que já é aplicada em pelo menos trinta países do mundo. “O Presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar hoje a vacinação contra Covid. Ele chegou a minimizar o número de mortes nessa faixa-etária e disse que não conhece nenhum caso. É uma desinformação, porque o próprio Ministério da Saúde do governo dele contabiliza 308 mortes de criança de 5 a 11 anos desde o começo da pandemia. Bolsonaro também duvidou da honestidade da ANVISA por ter aprovado a vacinação infantil contra Covid. E chamou quem defende a imunização de ‘tarados por vacina’. As cenas foram publicadas nas redes sociais do Presidente”, descreveu o âncora.

Em seguida, falou do luto dos brasileiros que precisaram lidar com a morte de crianças em consequência da Covid-19, além de reiterar as funções da ANVISA no processo de liberação do imunizante e devido processo de regulamentação do que será entregue nos Postos de Saúde.

“As declarações do presidente Jair Bolsonaro a respeito das vacinas de crianças contra a Covid-19 afrontam a verdade e desrespeitam o luto de milhares de brasileiros, parentes e amigos das mais de 300 vítimas de cinco a onze anos. O Presidente também desrespeita todos os técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, ao questionar qual seria o interesse da ANVISA com a autorização da vacinação de crianças. O interesse da vacina está expresso na Lei que a criou: coordenar a vigilância sanitária em defesa da população. O quarto artigo da lei determina que a agência atue como uma entidade administrativa independente e que as prerrogativas necessárias ao exercício adequado de suas funções sejam asseguradas. Não é isso que o Presidente tem feito ao ameaçar divulgar nomes dos agentes da ANVISA que aprovaram a vacinação infantil. E agora, ao questionar a lisura do órgão.”

Renata Vasconcellos continuou o editorial da Globo e lembrou quanto Bolsonaro tentou impedir a liberação da vacinação infantil. “Por fim, as declarações do Presidente Bolsonaro contrastam com aquilo que prevê o artigo 196 da Constituição que ele jurou respeitar: ‘A saúde é direito de todos os cidadãos e dever do Estado’. O governo Bolsonaro retardou a decisão sobre a vacina de crianças desde o dia 16 de dezembro até ontem, data limite imposta pelo Supremo [Tribunal Federal]. Convocou uma audiência pública estapafúrdia, porque remédios não podem ser submetidos ao público leigo, mas por cientistas. Em razão dessa demora, as famílias brasileiras tem ainda que aguardar ao menos mais sete dias para receber as primeiras doses periódicas”, continuou Renata.

Bonner deu a fala final, dizendo esperar que Bolsonaro responda às consequências do que fala e faz, sendo Presidente da República do país. “O Presidente Jair Bolsonaro é responsável pelo que diz, pelo que faz. Espera-se que venha também ser responsável pelas consequências daquilo que faz e diz”, finalizou.

PRINCIPAIS NOTÍCIAS:

Irmã de Luan Santana é assaltada em SP: ‘Só levaram bens materiais’ 
Por causa da Covid-19, gravações de ‘Pantanal’ são canceladas
BBB22: Boninho enlouquece fãs com mais dicas sobre os participantes

Siga OFuxico no Google News e receba alertas das principais notícias sobre famosos, novelas, séries, entretenimento e mais!