BBB às 17:45

Emocionante! Juliette recita poema em homenagem ao Dia das Mães

Reprodução/Instagram

Emocionante! Juliette Freire tocou o coração dos seguidores ao recitar, na tarde deste domingo (9), Dia das Mães, um poema em homenagem a sua mãe, Dona Fátima, escrito por ela mesma, em parceria com o artista Juzé.

No Instagram, a campeã do “BBB21” compartilhou um vídeo se lendo as lindas palavras para a matriarca e emocionou os seguidores com a mensagem de amor.

"Amar é encontrar no outro um lugar. É entregar o melhor de si. É cuidar, proteger, acolher, ensinar. É amar! Esse sentimento perfeito, que aparece até nos erros pra se transformar em acerto. Cada um ama de seu jeito, mostra amor do seu jeito, e mesmo com seus defeitos, todo mundo tem sua forma de amar."

"E a gente só precisa enxergar. Eu e mainha é a gente. E só gente entende gente. Ela não precisou falar. Me ensinou com exemplo. E foi isso. Todo tempo. E ela na sua labuta. Que era de fato uma luta. Me deu amor na ausência. E eu entendia que ela não podia, me dar tudo que eu queria, mas eu sentia a sua presença."

"Ela nunca largou a minha mão e toda vez que eu errava, a voz dela falava dentro do meu coração. Só me dizia as coisas uma vez. Não tinha tempo pra duas, quanto mais três. E eu errava. E as consequências era eu que lidava. Mas se não tinha mais jeito. Se já não tinha conserto, aparecia mainha e me abraçava. Me fazia ver sentido de novo na caminhada e dizendo 'minha filha, isso passa, a vida é abençoada'.

"Nossa linguagem de amor foi forte, braba, dura, justa. E a vida é isso tudo. E o amor é isso tudo. O sentido está nos pequenos atos, assim como os cactos, que precisam de pouco pra viver, o amor precisa de pouco para florescer. E mainha mesmo tendo tão pouco sempre soube dividir para multiplicar esse vício de cuidar do outro. Isso também é amar. Mainha é minha casa, que eu conheço cada cantinho, na bronca e no carinho, ela é o ninho para me guardar e eu só um passarinho que precisa voar. Mainha me ensinou o amor do jeitinho dela. E foi com ela eu aprendi a amar”, disse a paraibana no poema.

Juliette relata amor pela mãe: 'Força da mulher nordestina'

Juliette  Freire, de 31 anos, cativou todo o Brasil e foi consagrada campeã do “BBB21”, vem vivendo dias agitados desde o fim do reality show. A advogada, que dedicou o prêmio à mãe, abriu o coração para falar do amor que sente pela matriarca, Dona Fátima.

Desde que entrou no programa, a paraibana reforçou que tinha o objetivo de conquistar o prêmio de 1,5 milhão de reais para dar melhores condições de vida para a família e pagar a cirurgia da mãe, que tem uma saúde delicada desde que sofreu um AVC (acidente vascular cerebral), em 2019.

“Ela era muito inocente, mas também muito firme e muito forte”, disse a paraibana em entrevista a Quem, citando, com orgulho, que Fátima “tem a força da mulher nordestina”. “Ela é uma mulher guerreira. Ela apanhava, levantava e seguia. Minha mãe é meu símbolo de luta, sim. Só eu e ela sabemos o que ela viveu”.

Juliette também relembrou um momento de emoção do “BBB21”, quando comoveu os brothers e o público ao dizer, em uma ação do Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março, que foi ela, ao lado da irmã, quem ensinou a mãe a ler. “Minha mãe, que é semianalfabeta, foi uma mulher que viveu situações horríveis. Ela sempre nos educou da maneira correta, com valores. Eu quem ensinei minha mãe a ler e escrever. Ela lendo é a coisa mais fofa do mundo. Ela me ensinou virtudes, que não há preço que pague”, emociona-se.

Com uma agenda lotada de compromissos, Juliette – que gravou Mais Você, BBB Dia 101 e atrações do Multishow – só conseguiu ver a mãe quase 48 horas depois que deixou a casa mais vigiada do Brasil. O reencontro foi registrado e compartilhado nas redes sociais.