Televisão às 15:39

Patrícia Poeta revela ter trauma de assédio sofrido na adolescência

Patricia Poeta fala sobre tentativa de assédio

Reprodução/TVGlobo

Patrícia Poeta revelou que passou por um caso de assédio na adolescência durante o “Encontro” (TVGlobo) desta quarta-feira, 13 de outubro. A confissão foi feita após o programa discutir como mulheres podem se defender nesse tipo de situação.

O programa recebeu Eduarda, de 20 anos, que foi à internet contar sobre a tentativa de estupro que sofreu e viralizou nas redes sociais. A jovem estava dentro de um Uber quando o motorista ofereceu um produto que, segundo ele, servia para desengordurar óculos e tela de celular. O homem pediu para que Eduarda cheirasse o paninho oferecido, pois teria um cheiro bom, e a visão da moça ficou preta e ela se sentiu tonta. Ela conseguiu destrancar a porta do carro e se jogou do veículo em movimento. 

“Um momento em que a gente se sente vulnerável. Fui correndo até o caminhão pedir ajuda. Quando entrei no caminhão, ele ficou parado na frente olhando para onde a gente ia. Só no momento que a gente parou na minha casa que ele seguiu a rota dele” contou Eduarda durante o programa.

A jovem também disse não se sentir segura nem em sua própria casa, já que o motorista sabe seu endereço. “Sei que ele sabe onde era meu destino final. Desde que aconteceu, não estou ficando na minha casa porque tenho insegurança, fico com medo de ele aparecer”.

O RELATO DE PATRÍCIA POETA

Ao ouvir o relato, Patrícia Poeta se comoveu, e revelou que passou por um caso de assédio na adolescência que a traumatizou até hoje.

“Me coloco no lugar dela, porque, quando era adolescente, também fui vítima de uma tentativa dessa. Lembro até hoje, tenho trauma disso até hoje, porque não consegui sequer falar para pedir ajuda” confessou. 

Uma especialista em segurança feminina ainda visitou o palco do programa para ensinar dicas de como se proteger de tentativas de assédio e estupro, especialmente em carros de aplicativo ou caronas. 

NOTA DA UBER

A empresa Uber se manifestou sobre o caso através da nota abaixo:

“A Uber repudia qualquer tipo de comportamento abusivo contra mulheres e já está em contato com as autoridades para colaborar com a investigação, nos termos da lei. A empresa acredita na importância de combater, coibir e denunciar casos de assédio e violência. Este tipo de comportamento configura violação ao Código de Conduta da Comunidade Uber e a conta do motorista foi desativada da plataforma assim que a empresa tomou conhecimento do episódio.

Vale ressaltar que a Uber está sempre à disposição para colaborar com as autoridades e possui um portal exclusivo para solicitação de dados, que está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana para processar as demandas, permitindo que informações importantes sejam repassadas com segurança e rapidez, isso tudo respeitando as leis de privacidade exigidas no País, em especial o Marco Civil da Internet. 

Segurança é uma prioridade para a Uber e inúmeras ferramentas atuam antes, durante e depois das viagens  para torná-las mais tranquilas, como, por exemplo: o compartilhamento de localização, gravação de áudio, detecção de linguagem imprópria no chat, botão de ligar para a polícia, entre outros. 

Desde 2018, a empresa se comprometeu a participar ativamente do enfrentamento da violência contra a mulher e possui diversos projetos voltados para isso, que incluem campanhas contra o assédio, podcast educativo para motoristas parceiros sobre violência de gênero e, recentemente, em parceria com o MeToo, anunciamos um canal de suporte psicológico para apoiar vítimas de violência de gênero na plataforma.”

PRINCIPAIS NOTÍCIAS
A Fazenda: Mileide desconfia que produção mexa nos poderes do lampião
Luísa Sonza é vítima de assalto em farmácia de São Paulo
Após golpe, ex-amiga deve pagar indenização a Bruno Gagliasso e Gio Ewbank