Premiações às 15:00

VMA 2023: Relembre 10 apresentações que marcaram história

VMA
VMA 2023: Relembre momentos icônicos da premiação (Reprodução/Youtube)

Nesta terça-feira, 12 de setembro, acontece o VMA 2023 com transmissão pela MTV, aonde os prêmios para diversos artistas pela sua contribuição ao audiovisual da música são distribuídos. A premiação é palco e plataforma para diversos nomes da música divulgarem seus trabalhos e fazerem apresentações de alto calibre, mesmo que de uns anos para cá ela tenha perdido certa força com a audiência. Porém, ela é eternizada com performances, em sua maioria com as amadas divas pop comandando.

Por exemplo, Beyoncé fez uma revelação histórica e que marcou toda uma plateia; Madonna sempre deu o nome em performance e foi palco de uma apresentação recentemente homenageada no “LipSync Battle do Domingão com Huck”. Tivemos até mesmo a amada Katy Perry colocando o pessoal para cantar em baixo de um cenário marcante no Brooklyn… E muito mais!

Britney e a cobra (VMA 2001)

Na imagem da cultura pop diversos momentos sempre são reproduzidos. Por exemplo, Britney Spears, a princesa do pop, fez uma apresentação ousada e polêmica, que atiçou defensores dos animais. A cantora cantou “I’m Slave For You” acompanhada de uma cobra Píton em seus ombros e até hoje é um look reproduzido por cosplayers, drag queens, fãs da Brit e relembrada de forma icônica.

Madonna e seu ‘Vogue’ (VMA 1990)

É quase impossível, na verdade é mesmo, falar de VMA sem falar de Madonna. A cantora sempre que foi chamada para fazer a apresentação…. deu seu nome e se consagrou ali no palco como a Rainha do Pop. Em 1990, um dos momentos que marcaram a edição foi a performance de “Vogue”, hino da cantora, com uma coreografia perfeita e looks grandiosos que remetiam a um ambiente da realeza francesa do século XVII. C’mon and Vogue!

Lady Gaga sangrando no palco (VMA 2009)

Antes de entrar em eras mais ‘cleans’ e mais focada em sua atuação, Lady Gaga teve momentos para lá de excêntricos. Em 2009, a cantora promovia o seu primeiro álbum, o “The Fame”. O conceito era extravagante, pop, e marcou uma geração de Little Monsters por aí. Nesta aqui, além dos seus vocais afiados, Lady Gaga entoou “Paparazzi” e logo no finalzinho ela reproduz a dor que a música traz de forma visceral: Sangue fictício escorrendo por ela combinados com sua dramaticidade ótima dando um grandioso número musical.

Lady Gaga vive pelo aplauso ( VMA 2013)

Falando nela…. Olha ela de novo! Em 2013, ano que irá aparecer mais vezes por aqui, era quando o Pop teve aquele “boom” e as divas, já consagradas, estavam divulgando suas novas eras. No caso da Gaga, era o pontapé de “Artpop”. Aqui ela foi escolhida como quem abriria a apresentação e não deu outra: Cantando “Applause”, o primeiro single, ela se auto referenciou e passou por suas eras: “The Fame”; “Born This Way”, mostrando qual era a estética de cada uma, como a peruca chanell e a mecha amarela. No fim, ela apresentou qual era a Gaga do álbum: A sereia. Com um cabelão e um biquini, ela performou, coreografou e apresentou ao mundo o início da era que viria a ser sua maior polêmica.

Katy Perry pronta para rugir (VMA 2013)

Se em 2013, Lady Gaga abriu… Katy Perry fechou a premiação. As duas, hoje amigas, acabaram sendo vítimas de comparações e lançaram “Applause” e “Roar” no mesmo dia. Katy saiu vitoriosa alcançando o número um da Bilboard Hot 100. O VMA não perdeu tempo e colocou os dois maiores nomes do momento para os dois maiores núcleos. Katy Perry cantou em baixo da ponte do Brooklyn com uma temática de luta e sua coreografia, além de iluminar o local em luzes douradas. Além de tudo, ela mostrou que estava empenhada em melhoras seus vocais, que foram criticadas na era anterior, e soltou seu rugido com força ao final!

Beyoncé e a gravidez no palco (VMA 2011)

Ela não brinca em serviço! Queen B vinha desviando dos rumores de gravidez aqui e ali e optou pelo silêncio quando começaram a surgir informações. Tudo isto porque no VMA daquele ano ele iria parar a internet com o anúncio que só ela e Jay-Z sabiam: Blue Ivy estava no ‘forninho’. Ao final de “Love On Top”, ela abre o terninho que usava, joga o microfone no chão, a câmera foca e ela começa a sorrir e fazer carinho em sua barriga. A plateia? Foi à loucura! O marido? Ficou enlouquecido ao receber abraços de todos os amigos que estavam por lá!

Janet Jackson homenageia Michael Jackson (VMA 2009)

Em junho de 2009 morria o Rei do Pop, Michael Jackson. A premiação sempre aproveita para homenagear grandes ícones que passaram por lá e marcaram a cultura pop. Ao cantar “Scream”, Janet se emocionou e fez alguns passos iguais ao do irmão. Ao final, ela anunciou uma prévia do documentário de Michael, o “This Is It”.

Nirvana em “Lithium” (VMA 1992)

A banda liderada por Kurt Cobain resolveu apresentar-se na premiação com outra música que não fosse o grande hit deles, “Smells Like Teen Spirit”. Eles gostariam de tocar “Rape Me”, música polêmica que foi vetada pela MTV pelo teor dela. Em consenso, eles toparam fazer a performance de rock de “Lithium” do icônico “Nevermind”. Porém, como o espírito rock ‘n’ roll não prevê obedecer às regras, eles começaram a tocar a primeira opção para assustar a MTV, porém, Kurt entoou a música de forma debochada, trocando letras. Por fim, o baixista, Krist, atirou o instrumento para cima em forma de protesto. Porém, ele caiu com tudo em sua cabeça, marcando a premiação como um dos grandes momentos controversos dele.

Hannah Montana? Me chame de Miley! (VMA 2013)

Voltamos a 2013 com Miley Cyrus em sua era “Bangerz”. Ela ouviu muito que sua imagem era muito “Hannah Montana” e decidiu escandalizar ao cortar o cabelo e fazer um novo visual para sua era, que veio a ser um marco na cultura pop. Descendo de um tobogã e dançando e cantando “We Can’t Stop”, tudo parecia tranquilo. Até Robyn Thique cantar “Blurred Lines” com ela e receber um twerk dela no palco. O momento não foi combinado e ganhou todas as páginas de manchetes norte-americanas da época.

Madonna, Aguilera e Britney: Um sonho americano (VMA 2003)

Não podia faltar “Hollywood” e mais uma vez a Rainha do Pop acompanhada das princesas do pop. Ela fez o que ninguém havia feito por lá: Vestida de noivo, ela chama as duas cantoras de noiva para cantar “Like a Virgin”. Enquanto elas estão lá, Madonna sai do topo da estrutura e começa a cantar a primeira citada junto com as duas. Por fim: Beijão acontecendo e o climão acontecendo porque Justin Timberlake, ex de Britney, assistia tudo e estava de cara com a performance icônica. E claro, Spears tinha acabado de receber um belo beijo de Madonna bem na sua frente.

Notícias Relacionadas