Notícias às 08:00

Fake News vincula nome de Anahí a investigação do FBI

Anahi, cantora e atriz

Foto: Reprodução Instagram @anahi

Rumores infundados vincularam o nome da cantora Anahi a um escândalo de lavagem de dinheiro e colocaram a ex RBD entre os assuntos mais comentados na internet. O caso envolve a apresentadora de televisão Inés Gomez Mont e um grupo de pessoas envolvidas no desvio de milhões de pesos mexicanos.

Por falta de apuração muitos sites de notícia deram como certo que Anahi  e seu marido Manuel Velasco, ex-governador do estado de Chiapas, no México, foram citados entre os investigados. O nome da atriz e cantora estaria envolvido porque ela seria sócia do marido e, por isso, estaria na lista de investigados que relaciona artistas e políticos famosos ao escândalo.

As fake News davam como certo que a estrela de Rebelde foi citada pelo FBI e seria chamada para prestar esclarecimentos. A história surgiu após um site mexicano que se baseia em informações que viralizam nas redes socais dar o caso como certo. Que fique claro que Anahi não tem nenhum envolvimento com o caso e seu nome foi citado por irresponsabilidade de veículos irresponsáveis e mentirosos.

Veja + RBD deve fazer show no Brasil em 2022, diz produtor

Recentemente Anahi postou em suas redes sociais uma foto para comemorar o aniversário de 9 anos de seu casamento com Manuel Velasco.

ENTENDA O CASO INVESTIGADO PELO FBI

O escândalo envolve, entre outras pessoas, a apresentadora de televisão Inés Gómez Mont e seu marido, Víctor Manuel Álvarez Puga, considerada fugitiva da justiça por supostamente desviar bilhões de pesos do erário público. As acusações  envolvem crime organizado e lavagem de dinheiro.

Inés Gómez Mont afirma ser inocente de qualquer crime

Em mensagem publicada em suas redes sociais, Gómez Mont garantiu que tem se calado esses dias para tentar entender os fatos e focar em sua defesa.

Inés Gómez Mont e seu marido Víctor Manuel Álvarez Puga Foto: IG @inesgomezmont

EFE.- Após duas semanas de silêncio, a apresentadora de televisão Inés Gómez Mont disse que era inocente e negou qualquer vínculo com o crime organizado e a lavagem de dinheiro, em meio a uma investigação da Procuradoria Geral da República (FGR).

Em mensagem publicada em suas redes sociais Inéz Gómez Mont garantiu que tem se calado esses dias para tentar entender os fatos e focar em sua defesa. “Apesar de não ter acesso ao arquivo, quero enfatizar que sou inocente e não cometi nenhum crime”, afirmou.

Gómez esclareceu ainda que, segundo a mídia, ela está sendo investigada por receber dinheiro de dois contratos públicos no valor de 3.000 milhões de pesos e por pertencer ao crime organizado.  “Sou apresentadora de televisão e mãe em tempo integral. E em hipótese alguma pertenço ao crime organizado ”, frisou.

A comunicadora afirma temer que provas foram fabricadas contra ela e indicou que continuar trabalhando com sua “equipe jurídica” para se defender. “Mas não consigo mais ficar calada”, desabafou.

“Eu sei quem eu sou. Para mim e meus filhos, vou demonstrar inocentemente minha dignidade e não vou ficar calada. Repito: sou inocente e isso é uma injustiça ”, concluiu.

Veja + Anahí relembra comentário que provocou sua anorexia nervosa

Gómez Mont é procurada junto com seu marido Víctor Álvarez Puga pela FGR e aparentemente ela está se refugiando em uma luxuosa mansão que possui em Miami Beach, embora alguns meios de comunicação indiquem que ela poderia estar nas Bahamas.

Em meados de setembro, foi anunciado que Gómez Mont e Álvarez Puga foram acusados ​​dos crimes de peculato, crime organizado e operações com recursos de origem ilícita, no valor de 3.000 milhões de pesos, para os quais foi emitido um mandado de prisão contra o casal.

Inéz, seu marido e seu irmão, Alejandro Álvarez Puga, estariam envolvidos no uso de empresas de fachada que facilitam a sonegação fiscal, o desvio de recursos públicos e a lavagem de dinheiro para terceiros. Como esses crimes são classificados como graves, eles merecem prisão preventiva, de modo que a FGR estaria em processo de solicitar à Interpol a emissão de duas fichas vermelhas para a busca e captura de Gómez Mont e seu marido.

As investigações estão em curso desde 2011 e envolvem apartamentos de luxo, terrenos, mansões e muitos outros imóveis.