Polêmica às 08:45

De novo? Adele é acusada de plagiar música de Chico Buarque e Tom Jobim

Chico Buarque, Adele e Tom Jobim

Foto: Divulgação

Depois de ter a música “Million Years Ago” comparada com “Mulheres”, de Martinho da Vila, o que resultou em um processo judicial, Adele estaria se inspirando na música brasileira para compor outras canções… Internautas têm sugerido que “To Be Loved”, do novo disco da cantora, é semelhante a “Eu Te Amo”, composição de Chico Buarque e Tom Jobim, lançada em 1980.

O novo disco da loira foi lançado na última sexta-feira, 19 de novembro e na web já surgiram comparações. Contudo, profissionais da música explicaram a que se deve a semelhança: não se trata de um caso de plágio, mas de um padrão harmônico simples, comum no mundo da música.

“O do Chico é uma sequência de acordes com movimento similar, mas em diferentes harmonias, enquanto que a da Adele é simplesmente uma escala descendente no padrão 2-3 1-2 7-1 6-7 e por aí vai. São formas musicais simples e consideravelmente distintas”, explicou um internauta.

“As notas de “te amo” nesse fraseado estão em sentido crescente e decrescente em escala monocromática acompanhadas pelo baixo, enquanto To be loved está apenas em decrescente em soprano…”, detalhou outra pessoa.

Veja +: Repórter entrevista Adele sem escutar o novo disco e é demitido

EQUIPE DE CHICO BUARQUE NEGA PLÁGIO

Diante do tititi envolvendo o suposto plágio, até mesmo o maestro Luiz Cláudio Ramos, que faz os arranjos dos discos de Chico, chegou a ser chamado para analisar s composições.

A equipe do cantor, no entanto, afirmou que não há nenhuma semelhança entre as duas músicas.

Procurada a Sony Music, que representa Adele no Brasil, não se pronunciou até a publicação desta reportagem.

PROCESSO NA MÚSICA DE MARTINHO DA VILA

Bem além do padrão harmônico, Toninho Geraes, compositor de “Mulheres”, música de 1995 interpretada por Martinho da Vila, quer que Adele reconheça a inspiração nos créditos do álbum. O compositor notificou a gravadora Sony Music, a XL Recordings (gravadora britânica)/Beggars Group (incorporador da XL), a própria Adele e a Greg Kurstin, produtor do álbum “Million Years Ago”.

O compositor quer receber uma indenização por danos morais, royalties da música e ser creditado como coautor. Foram encomendados até laudos técnicos com três peritos musicais para “destrinchar tecnicamente” as duas obras.

Nos documentos, os advogados de Toninho Feraes garantem que, além da linha melódica, Adele e Greg “se apropriaram das primeiras notas de introdução”, as reproduzindo no início, refrão e final de Million Years Ago.

Entre trechos idênticos, substancialmente semelhantes e “imitativos”, as notificações contabilizam 88 compassos com indícios de cópia, somando três minutos e dois segundos, ou 87% da canção.

Dos envolvidos na acusação, apenas a Sony Brasil se pronunciou, declarando que o assunto está nas mãos da gravadora inglesa e da própria Adele.

MARTINHO DA VILA: ‘A GUERRA NÃO É MINHA’

O programa “Domingo Espetacular”, da Record TV, entrevistou Martinho da Vila. O músico abre a casa e o baú de memórias para a equipe da atração.

Ele também comentou a denúncia de plágio contra a cantora Adele em cima da música “Mulheres”, do compositor Toninho Geraes, muito conhecida na voz de Martinho da Vila.

O cantor fz uma importante ressalva em torno da polêmica: “Essa guerra não é minha, eu sou só o cantor”.

Veja reações na web:

PRINCIPAIS NOTÍCIAS

MC Mirella chora por receber ataques após pedido de divórcio
Brasileiros saem do Emmy de mãos vazias
Deolane Bezerra explica música em homenagem a MC Kevin
Sergio Guizé lança álbum solo
Confira a agenda do BTS até o final do ano